Crítica | Amor Fora da Lei

Crítica | Amor Fora da Lei

O clima árido e as paisagens rústicas do Texas são sempre um belo cenário para enredos de degradação, sofrimento e paixões malsucedidas. Aqui, o visual toma conta da história de amor de Ruth Guthrie (Rooney Mara) e Bob Muldoon (Casey Affleck), um casal de fora da lei que se vê separado pelos muros da prisão, após um incidente durante um roubo. O romance se torna mais forte quando Bob toma a culpa de Ruth, cumprindo sua sentença, e ela se descobrir grávida.

Este é o segundo longa do roteirista e diretor David Lowery, o primeiro nunca chegou por aqui, portanto, para nós é um novato na telona. O frescor do seu trabalho dá para ser sentido pela exploração dos cenários e das luzes de forma livre e intensa. Uma das cenas mais bonitas do filme é exatamente o casal sob o pôr-do-sol com os raios iluminando-os em diversos tons. O cineasta também cria um clima bem sombrio para a jornada de Bob atrás da amada.

Tudo se passa entre pouca luminosidade e bastantes caminhos escuros. A composição da vida de Ruth com a filha já é diferente. Sua casa e cotidiano são sempre iluminados por raios solares, como se fosse uma mensagem de esperança eterna para a personagem. Amor Fora da Lei (Ain’t Them Bodies Saints) transcorre entre uma promessa e a luta para cumpri-la, enquanto o roteiro nos encanta com as cartas entre os apaixonados e a vida em suspensão de ambos até o reencontro.

A trama segue a risca o percurso do protagonista para alcançar o seu objetivo de conhecer a filha e beijar a amada. A única coisa que destoa nessa composição é o ator Casey Affleck, que está longe de conseguir convencer como o amante apaixonado e contraventor. Algo muito bem apresentado por Josh Brolin no início do ano em Refém da Paixão. O problema é que o ator não tem charme e nem simpatia suficiente para dar brilho à relação amorosa. Somos muito mais envolvidos romanticamente pelas palavras do que pelas cenas do casal.

É interessante acompanhar a trajetória de Bob e se pegar torcendo contra ou a favor por sua resolução. No seu caminho surgem cobranças do passado e interpelações para afastá-lo de sua filha e esposa. Por ele ter fugido da prisão, sua ida até a antiga casa de Ruth é aguardada pelo xerife Patrick Wheeler (Ben Foster), que chega a formar um estranho e platônico triângulo amoroso na trama.

O estado do Texas é explorado a exaustão pelos norte-americanos como ambiente de tragédias e desilusões. Portanto, Amor Fora da Lei segue o seu percurso já encabeçado pela sua localização. Sem muita ação ou grande rompante, o filme conduz o espectador para um encanto visual e, por outro lado, uma amargura emocional. A beleza se sobressai nessa balada entre o amor e a liberdade. É possível ter os dois?

Nota: 3.0

Share this: