Confissões de Adolescete | Bate-papo com Chris D’Amato e Bella Camero

Confissões de Adolescete | Bate-papo com Chris D’Amato e Bella Camero

Como é o primeiro beijo? E a primeira vez? Será que dói? O que eu vou fazer na faculdade? Com o que eu quero trabalhar? Há 20 anos, Maria Mariana levou ao teatro uma história baseada nas suas próprias dúvidas e curiosidades da adolescência, incentivada por seu pai, o cineasta Domingos de Oliveira. Duas décadas se passaram e as questões continuam as mesmas, apenas o diário foi substituído pelas redes sociais. Assim, a antiga peça e o seriado se transformaram no recém-lançado filme Confissões de Adolescente.

Em entrevista exclusiva para o Centro do Cinema, a atriz Bella Camero e a diretora Chris D’Amato – codiretora de Daniel Filho -, contaram o desenvolvimento do projeto e revelaram curiosidades e novidades. Nesta nova adaptação, os nomes das meninas foram trocados e as situações foram atualizadas ao nosso cotidiano. Para encontrar as irmãs Tina (Sophia Abrahão), Bianca (Bella Camero), Alice (Malu Rodrigues) e Karina (Clara Tiezzi), os diretores e os produtores realizaram 450 testes, entretanto, Bella Camero e Sophia Abrahão participaram juntas da última montagem do espetáculo teatral.

“Eu estava na peça e quando soube do filme, quis muito fazer parte. Imagine, fiquei três anos em cartaz”, relembra Camero. As situações, no entanto, mudaram de uma produção para outra. “Na peça não eram quatro meninas diferentes, na verdade, as quatro atrizes viviam momentos diferentes da vida da mesma personagem. Já no filme, a gente buscava muito uma semelhança com a realidade, com os diálogos dos adolescentes. E em dois anos mudou muito as gírias”, explica a atriz de 21 anos.

Construção do roteiro

Responsável pelo texto da produção teatral, o jovem cineasta Matheus Souza (Eu não faço a menor ideia do que eu tô fazendo com a minha vida) teve a missão de levar a história também para o cinema. Segundo o autor, em entrevista anterior ao site, a proposta era falar com os jovens e sobre eles de uma forma inteligente e consciente. Com bastantes cenas engraçadas e temas pertinentes, Matheus conseguiu ser envolvente e construtivo.

“A primeira versão do roteiro tinha 140 páginas, a gente brincou que era O Senhor dos Anéis dos Adolescentes”, conta Chris D’Amato. De acordo com a diretora, o objetivo era trazer a meninas mais para o lado familiar, portanto, Daniel Filho incluiu ainda algumas cenas sobre o relacionamento das jovens com o pai. Chris trabalha há anos com consagrado diretor, nesse tempo ela passou de assistente de produção para diretora assistente e, hoje, aprece como codiretora.

Com uma animação contagiante, Chris recorda de seu primeiro filme sozinha Sem Controle (2007), com Eduardo Moscovis, e seu crescimento ao lado do maestro para sua próxima empreitada, a comédia romântica S.O.S. – Mulheres ao Mar, com Giovanna Antonelli. Apesar da boa sintonia entre os diretores, nem sempre eles concordam. “A cena que Alice procura a camisinha, o Matheus tinha escrito que o menino procurava a camisinha na menina. Eu me neguei a fazer essa cena, porque eu tenho certeza que não é assim. Como na sua primeira você se escancara desse jeito? Eu bati o pé”, revela. Após o embate, Chris ganhou o conflito pelo seu tom mais feminino e realístico.

Adolescente da nova era

Afinal, a proposta de Confissões de Adolescente era nunca soar falsa ou de forma caricata. Para isso, os diretores e a preparadora de elenco Luisa Thiré montaram um esquema um pouco diferente. “Fizemos uma leitura com todo mundo e depois recolhemos os roteiros, porque tudo que é dito nas cenas é muito próximo aos atores. Não queria que o elenco viesse com aquilo cristalizado, decorado, até porque a gente queria aproveitar o frescor do jeito que eles falavam”, esclarece Chris.

Ela ressalta ainda que nada era improvisado, eles sabia exatamente o que fazer, só não precisa ter as palavras certinhas para declamar. “Estava à vontade para colocar alguma coisa ou tirar na hora da fala, como algum tropeço ou gíria. Tinha muita liberdade de criar.”, completa Bella sobre a estratégia de gravações. Aliás, a atriz não se acha parecida com sua personagem, no entanto, ela se identifica com apenas um ponto: a indecisão.

“Demoro muito para escolher que roupa vou vestir de manhã”, brinca a jovem. Mas quando o assunto é mais sério, o problema também a assola. “Minha mãe é atriz, eu cresci nesse meio, mas meu sonho quando criança era ser engenheira ambiental, então decidi prestar o vestibular para engenharia, mesmo já trabalhando como atriz.” Bella passou para a PUC e a UFRJ, mas em cima da hora mudou de decisão e foi cursar Artes Cênicas, atualmente o curso está trancado por conta do trabalho.

Identificação do público

Dificilmente, o jovem brasileiro não vai se identificar com essa questão e muitas outras na obra. Confissões de Adolescente é leve, atual e divertido, além disso, homenageia antigas músicas da MPB na trilha sonora saudosista. Além desse resgate musical, as quatro atrizes da série, precursoras da história aparecem no filme. “A Maria Mariana esteve envolvida o tempo inteiro no projeto, a Débora, a Georgiana e a Daniele também queriam fazer alguma coisa, então, mandamos o roteiro para elas e cada uma escolheu uma personagem”, confessa Chris.

Com a certeza do sucesso de Confissões de Adolescente, tanto a atriz quando a diretora já adiantaram a possibilidade do segundo filme a ser gravado ainda este ano. “O Matheus tem muito material ainda. Já existe a ideia de fazer o segundo filme e a Sony levantou a vontade de realizá-lo. No entanto, juntar o elenco vai ser difícil… cada um está fazendo uma coisa diferente”, conclui Chris enquanto começa a imaginar a produção de Confissões de Adolescente 2.

Share this: