Crítica | Homem de Ferro 3

Crítica | Homem de Ferro 3

Robert Downey Jr. está de volta, ou melhor, Tony Stark. Na verdade, não conseguimos mais separar o ator do personagem, a atuação única e carismática de Robert deu um jeito peculiar para o super-herói egocêntrico e mulherengo. Homem de Ferro 3 é o filme em que Tony mais aparece como um cara normal, cheio de esquizofrenia e limitações.

A construção desta sequência é baseada na pergunta: é a armadura que lhe define ou ele que comanda a armadura? Após lutar com alienígenas em Os Vingadores (2012), Tony Stark não é mais o mesmo, sofre de crise de ansiedade e sua experiência de quase morte o persegue em pesadelos.

Além disso, seu relacionamento com Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) não vai lá muito bem e eis que surge o terrorista Mandarin (Ben Kingsley) com intenções de matar o presidente norte-americano (William Sadler). Com o propósito de defender a nação, o governo transforma o Homem de Ferro, em uma Máquina de Combate com um design patriótico, as cores da bandeira dos Estados Unidos.

Jon Favreau, após comandar os dois primeiros filmes, cedeu o lugar para o Shane Black e resolveu apenas atuar e produzir o longa-metragem. Será que é possível notar alguma mudança na direção? Acredito que não, o tom de humor conjugado com ação permanece o mesmo. Por outro lado, algumas cenas de combate se estendem um pouco além da conta.

A participação de Ben Kingsley é ótima, ele é o ponto principal para lembrarmos que o Homem de Ferro apesar de estar pautado pela realidade brinca muito com a fantasia. Uma das boas sacadas dos roteiristas foi inserir a experiência do Homem de Ferro em Os Vingadores, como se fosse uma continuação. Estão presentes na trama todas as referências ao Thor, a invasão alienígena e os transtornos causados durante a aventura.

Novamente a ciência é a vilã, nas mãos do cientista maluco Aldrich Killian (Guy Pearce), uma descoberta se torna uma arma letal. Seres deste mundo ganham super poderes de fogo e se tornam um desafio para o herói. Durante a trajetória atrás do terrorista, para salvar o presidente e descobrir a verdade sobre a destruição de sua casa, fica evidente a busca por uma justificativa de Tony Stark ser quem ele é.

Com poucas surpresas, mas muita ação e humor, O Homem de Ferro 3 tem tudo para ser um dos filmes mais rentáveis do ano. Com certeza, a Marvel soube como agradar seu fãs e conquistar muitos outros. Agora é esperar a continuação desta história em Os Vingadores 2.

Nota: 3.5

Share this: