Os 10 Melhores Filmes de Scarlett Johansson

Os 10 Melhores Filmes de Scarlett Johansson

Com uma carreira de quase 50 filmes, a musa de Hollywood Scarlett Ingrid Johansson começou aos 10 anos de idade na comédia O Anjo da Guarda (1994), ao lado de Bruce Willis e Eijah Wood. Dois anos mais tarde, a menina encarou sua primeira protagonista, na pele da órfã Amanda em Meninas de Ninguém (1996). Por este trabalho, Scarlett foi indicada ao Independent Spirit Award. Em seguida, brilhou com Robert Redford no drama O Encantador de Cavalos (1998).
Poucos sabem, mas Scarlett também lançou dois álbuns Anywhere I Lay My Heard (2008) e Break Up (2009), com mais de 500 mil cópias vendidas ao redor do mundo. Eleita a mulher mais sexy do mundo em 2006 e 2013 pela revista Esquire  única a receber o prêmio duas vezes -, a atriz de 33 anos tem se dedicado ao papel de Viúva Negra nos filmes de super-heróis da Marvel, desde a sua primeira aparição em Homem de Ferro 2 (2010).
Em 2017, no entanto, Johansson não obteve êxito nas telonas. O sci-fi A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell (Ghost in the Shell) e a comédia A Noite é Delas (Rough Night) foram achincalhados pela crítica e o público, com redimento de bilheteria abaixo do esperado. Agora, aguardamos blockbuster Vingadores: Guerra do Infinito, prometido para 26 de Abril de 2018.
Confira abaixo o TOP 10 dos trabalhos mais marcantes de Scarlett:

10. Mundo Cão – Aprendendo a Viver (Ghost World, 2001)

Nesta tragicomédia, Scarlett divide as atenções com Thora Birch (Meu Pequeno Ladrão). As atrizes vivem as amigas Enid (Birch) e Rebecca (Johansson), ambas estão em uma crise existencial após o término do Ensino Médio.
Ao começarem planejar o futuro, as jovens percebem que a realidade da vida adulta é bem diferente dos seus ideais. Nesse percurso, a dupla começa a trilhar caminhos distintos e repensar sua amizade. Vale conferir o tom tímido de Scarlett em cena e o desempenho de Steve Buscemi, em mais uma personagem desajustado socialmente.

9. Capitão América 2: O Soldado Invernal (Captain America: The Winter Soldier, 2014)

Nossa musa em questão já esteve na pele de Natasha Romanoff ou Viúva Negra (Black Widow) quatro vezes. Mas, sem dúvida, a sua participação mais ativa foi no segundo filme do Capitão América (Chris Evans), em que ela é uma das poucas agentes da S.H.I.E.L.D a qual Steve Rogerns confia.
Com ótimas cenas de ação e um enredo bem engedrado, a Viúva Negra revela mais sobre o seu passado e ainda ajuda o protagonista a situar-se no novo século e a lidar com o vilão Soldado Invernal (Sebastian Stan).

8. Como Não Perder Essa Mulher (Don Jon, 2013)

Joseph Gordon-Levitt se supera ao dirigir, escrever e atuar brilhantemente neste longa. Já a personagem Barbara Surgarman cai com uma luva para Scarlett na pele de uma patricinha mimada, mega sexual e controladora.
O protagonista Jon (Joseph) é um solteirão convicto, adora sexo, mas é realmente fascinado pela pornografia, algo que consome grande parte da sua vida. Ao conhecer a estonteante Barbara, entretanto, ele tenta lutar contra o seu vício e acaba por descobrir uma razão a mais para o sexo. A edição e o roteiro são perfeitos.

7. O Grande Truque (The Prestige, 2006)

Sob o comando de Christopher Nolan (Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Robert Angier (Hugh Jackman) e Alfred Borden (Christian Bale) vivem uma assustadora competição entre mágicos iniciantes em Londres do século XIX.
Apesar de coadjunate, Olivia Wenscombe (Scarlett) é um envolvente ponto-chave para entender a disputa entre o professor e o aprendiz. O auge deste suspense é quando Alfred apresenta um novo truque, deixando Robert obsecado em descobrir o segredo do rival. O final é um dos mais surpreendentes das telonas.

6. Moça com Brinco de Pérola (Girl with a Pearl Earring, 2003)

Neste drama de época, Scarlett – quase irreconhecível – é novamente indicada ao Globo de Ouro e ao Bafta Awards, mas não leva. A atriz vive a camponesa holandesa Griet em pleno século XVII.
Ela é obrigada a trabalhar na casa de Johannes Vermeer (Colin Firth), um renomado pintor daquele tempo. De repente, a pobre menina se torna a musa inspiradora do artista em um de seus mais famosos trabalhos: o quadro Girl with a Pearl Earring.

5. Vicky Cristina Barcelona (Vicky Cristina Barcelona, 2008)

Sob a tutela de Woody Allen, Scarlett explora sua sensualidade com a intempestiva e solúvel Cristina, totalmente o oposto da sua amiga Vicky (Rebecca Hall), em uma viagem de férias por Barcelona.
No caminho das duas surge o galante pintor Juan Antonia (Javier Bardem) com a problemática ex-mulher Maria Elena (Penélope Cruz). Juan, Maria e Vicky vivem um tórrido, confuso e dramático relacionamento a três. A atriz Penélope Cruz saiu com um Oscar deste filme. Veja!

4. Sob a Pele (Under the Skin, 2013)

Este é o personagem – e obra também – mais original que Scarlett já performou no cinema. Com um enredo perturbador, o filme segue um alienígena (Johansson) nos primeiros dias na Terra em busca de presas humanas pelas ruas.
Contudo, para interceptar suas vítimas, o ser intergalático (?) usa apenas uma arrebatante sensualidade. Longe da aceitação do público convencional, o longa garante momentos de reflexão e empatia sobre o próximo.

3. Ponto Final – Match Point (Match Point, 2005)

Como atriz coadjuvante, Scarlett conquistou a sua quarta indicação ao Globo de Ouro nesta releitura de Crime e Castigo [obra de Dostoiévski publicada em 1866]  à la Woody Allen.
Em um enrolado jogo de interesses e traições, Johansson vive a sensual Nola Rice que se envolve com o namorado (Jonathan Rhys-Meyers) de sua cunhada (Emily Mortimer). Ótimo filme com um final, no mínimo, fascinante. Vale ressaltar que é uma das melhores obras de Allen.

2. Ela (Her, 2013)

Sem mostrar seu rosto, apenas com sua voz Scarlett realiza uma de suas representações mais marcantes. Escrito e dirigido por Spike Jonze, a obra acompanha Theodore (Joaquin Phoenix), um homem emotivo que trabalha escrevendo cartas românticas para outras pessoas.
Com o coração partido após um divórcio, ele desenvolve um relacionamento com um  avançado sistema operacional. Do outro lado da tela está Samantha (Johansson), uma voz feminina perspicaz, sensível e engraçada. Já se perguntou o que é o amor na sociedade moderna? Aliás, você já leu Zygmunt Bauman? Haja reflexão neste belíssimo drama.

1. Encontros e Desencontros (Lost in Translation, 2003)

No cultuado filme de Sofia Coppola (Bling Ring: A Gangue de Hollywood), Scarlett ganhou evidência internacional. Ela foi indicada ao Globo de Ouro e levou o Bafta Awards de Melhor Atriz. No papel de Charlotte, a artista encantou cinéfilos apaixonados pelo seu olhar doce ao lado de Bill Murray.
A comédia de tons dramáticos retrata a vida solitária dos desconhecidos Bob e Charlotte em Tóquio. Ambos acham a cidade estranha e não conseguem dormir. Assim, nasce uma das mais bonitas amizades cinematográficas.

Você concorda com esta ordem? Está faltando algum filme nesta lista? Deixe seu comentário, queremos saber a sua opinião!

Share this: